A cidade de Luziânia está localizada no estado de Goiás, região Centro-Oeste do Brasil. Fica a 200 km de Goiânia e aproximadamente 60 km de Brasília. A mistura de modernidade e história é o que melhor define essa cidade.

 

A Igreja Nossa Senhora do Rosário, remanescente do século XVIII, guarda imagens de madeira daquela época e sinos de bronze. O Morro da Canastra, o Palácio das Andorinhas e a Cachoeira de Saia Velha são atrações do turismo ecológico de Luziânia.

 

O bandeirante Antônio Bueno de Azevedo, em 13 de dezembro de 1746, encontrou ouro onde seria o povoado de Santa Luzia. As minas ali existentes atraíram mais de 10.000 migrantes.

 

O município de Luziânia, antes denominado Santa Luzia, originou-se da mineração. No século XVIII, essa atividade despertou o interesse de vários sertanistas, os quais tinham a intenção de desbravar as terras centrais do Brasil.

 

A primeira penetração no território deve-se ao paulista Antônio Bueno de Azevedo. Em fins de 1746, acompanhado de amigos e inúmeros escravos, partiu de Paracatu, rumo noroeste, até alcançar o Rio São Bartolomeu, onde construiu roças e alguns ranchos. Três meses depois, seguiu viagem, rumo oeste, aportando, em 1746, às margens do Rio Vermelho, nome decorrente da cor que adquiriu durante as atividades de extração de Ouro, abundante em seu leito. Satisfeitos com os vales férteis e auríferos do planalto, ali mesmo acamparam, construíram as primeiras residências e erigiram a cruz, em nome de Santa Luzia, marco da povoação que nascia sob a proteção da Santa. A notícia da descoberta das minas de Santa Luzia atraiu contingentes de pessoas livres e escravos das mais longínquas regiões.

No final do século XVIII, a mineração começou a declinar e muitas famílias se transferiram para a zona rural, dedicando-se à lavoura e à criação de gado. O arraial foi elevado à condição de vila em 1833 e, logo depois, à categoria de cidade em 1867. O atual nome, Luziânia, surgiu após o decreto-lei estadual nº 8305, de 31 de dezembro de 1943.

 

Desde sua fundação, no século XVIII, até 1960, data da inauguração de Brasília, Luziânia não obteve grandes marcos de forma geral. Entretanto, após ceder parte de seu grande território para a construção do que seria então a capital federal, Luziânia passou a ter um surto de desenvolvimento, beneficiada sobretudo pela BR-040 e BR-050, sendo a rodovia BR-040 a que oferece o acesso até Brasília. Com um crescimento populacional acelerado, foi necessário que se avaliasse a legislação do uso do solo do Distrito Federal, definindo previamente as áreas para expansão urbana, além da especulação imobiliária, o que acabou levando parte da população da nova capital brasileira a procurar alternativas de localização e moradia, tanto em Luziânia quanto em outras cidades do Entorno do Distrito Federal.