Em versos lindos

Cantar quizera

Ah! Quem me dera;

Toda magia

Todos encantos

De minha Terra

Santa Luzia,

Santa Luzia.

 

No quadro grande

Da criação,

Divina mão

Deu primazia

Para as belezas

Do meu Torrão

 

Santa Luzia,

Santa Luzia.

 

Na minha Terra,

A lua branca

Tem luz mais franca

Mais poesia

Quando cintila

Num céu de opala,

Santa Luzia,

Santa Luzia.

 

Na minha Terra,

Se a noite é escura,

No céu fulgura

Com galhardia

Esteira linda

De mil estrelas,

Santa Luzia,

Santa Luzia.

 

Na minha Terra

Há grandes matas,

Vales, cascatas

Sons de harmonia,

Nos cursos d'água,

Nos cantos d'aves,

Santa Luzia,

Santa Luzia.

 

O solo farto

Da Terra minha

Produz a vinha,

A melancia,

A cana doce,

O bom café,

Santa Luzia,

Santa Luzia.

 

Produz também

A marmelada,

Considerada

Numa ambrósia,

Produz de tudo

 

Para o sustento,

Santa Luzia,

Santa Luzia.

 

No sub solo

Dormem jazidas

Apetecidas,

De alta valia,

De lindas pedras,

Tão preciosas

Santa Luzia,

Santa Luzia.

 

Cantar não pude,

Em versos lindos,

Os dons infindos,

Como eu queria,

De minha Terra

Amada e bela,

Santa Luzia,

Santa Luzia.

 

Mas outro vate

Bem inspirado

Está fadado

Para um belo dia

Cantar com garbo

Tuas grandezas,

Santa Luzia,

Santa Luzia